«

»

Mai 23 2017

Em demonstração: Manger P1

As Manger são pouco conhecidas no mercado portugues, mais habituado às revistas audiófilas escritas em ingles (inglesas ou americanas) e por vezes em frances. Passamos por isso ao lado de muitas ofertas do enorme e misterioso fabrico alemão.

A Manger Audio (lê-se ‘manguer’) desenvolveu o seu patentado transdutor Manger que consiste, muito resumidamente, num altifalante com rigidez variável, aumentando do centro para a extremidade, que permite reproduzir frequencias de 80Hz até 40KHz. Com um só altifalante, sem crossover no meio, consegue-se por isso reproduzir a maioria do espetro auditivo, sem descontinuidades no domínio temporal nem diferenças de timbre entre altifalantes diferentes (a maioria das colunas precisa de um tweeter feito de um material diferente dos restantes altifalantes, com características sónicas diferentes).

Todas as colunas Manger Audio são de duas vias, recorrendo apenas um woofer para as baixas frequencias e um simples crossover. O resultado é uma coluna particularmente boa ao nível da coerencia e precisão no domínio temporal. Em termos de interação com a sala, a Manger optou por caixas seladas, sem pórtico, desenhadas para estarem relativamente próximas da parede traseira (50-70cm). São por isso colunas mais ideais para ter em casa e não tanto para ter na sala de demonstrações da VilaSound, onde devido às suas dimensões, precisa de colocar as colunas bem longe da parede.

De facto, elas falhavam em energizar corretamente a sala, naquela posíção (1,20m da parede). Recuando as colunas para perto da parede traseira melhorava esse aspeto mas criava os habituais problemas comuns a todas as colunas nesta sala: severos cancelamentos e picos em modos ressonantes, e o palco espalmado.

 

No entanto, a VilaSound tem outra sala de demonstrações, habitualmente usada para o homecinema. Aqui, em geral, as colunas portam-se bem perto da parede e as Manger P1 não foram exceção. Apresentando-se completamente diferentes no contexto anterior, as P1 revelam os seus trunfos ao nível da integração das unidades. O facto de serem colunas de caixa selada significa que irão apelar aos audiófilos mais rigorosos ao nível da reprodução de graves e não tanto àqueles que procuram um pouco de “fogo de artifício” no seu som, com graves mais cavernosos e expansivos. De facto, procurando pelas passagens mais exigentes ao nível de frequencias baixas na minha coleção de música, as Manger P1 conseguiram um nível de articulação que nunca tinha ouvido, embora com um limite ao nível da extensão. Penso que em salas mais pequenas (25-40m2) eles poderão mostrar-se bem mais equilibradas nesse aspeto do que aqui.

Neste caso em particular, graças ao alucinante SVS SB16-ULTRA, podemos adicionar o “fogo de artifício” à descrição.

 

 

Especificações:

Coluna de chão 2 vias com crossover a 360Hz
Frequencia de resposta: 40Hz-40KHz
Sensibilidade: 89dB (1W/1m)
MAX SPL: 106dB em pico
Potencia recomendada: 50-200W
Impedancia nominal: 4ohm
Terminais WBT NextGen
Acabamentos mate com qualquer cor RAL ou lacados em alto brilho
Dimensões: 1139 x 270 x 214 mm (A x L x P)
Peso: 28kg/un
PVP: 8930€

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>